Você está em:
Home
NOVA ZELÂNDIA
Voltar

  •  E X P E D I T I O N

    NOVA ZELÂNDIA


    por Tiago Azzi (@tiagoazzi)  |  Abril de 2018

     



  • Com o objetivo de captar imagens para a 2 temporada do programa Morando na Estrada (Canal OFF), que conta com Nelson Pinto e Marcela WittTiago Azzi e equipe se jogaram pra Nova Zelândia dar sequência à 1 temporada que foi produzida na Austrália.

     


  • A expedição começou no final de Abril em Auckland.

     


  • Embora o clima fosse ameno e agradável, eles tinham apenas 2 meses para explorar o máximo possível já sabendo que a parte sul da ilha sul era o local mais frio; por isso reservaram o primeiro momento da trip para desbravar a região, antes do auge do inverno.

     


  • "Logo que chegamos, tivemos dois dias de swell em Raglan. Uma esquerda perfeita, em um ponto clássico da NZ que fica na costa oeste da ilha norte."

     


  • "Chegando na Ilha Sul, marcada por um clima mais úmido, curtimos o pôr do sol e seguimos com chuva e temperaturas baixando durante os 4 dias seguintes, descendo pela costa oeste, onde contemplamos grandes costas rochosas, praias desertas, áreas de visual bem selvagem e pouco habitado."

     



  • "Na sequência, descendo pelo mapa, achamos uma direita na metade da ilha norte e assim começamos de fato a trip. Depois desse surf, fizemos a travessia de ferryboat para a ilha sul, de Wellington à Picton, que durou cerca de 3 horas e meia.

     



  • "O ferry mais parece um cruzeiro: possui cinema, restaurante e comporta dezenas de carros e caminhões; é realmente grande!"

     


  • Azzi nos disse que em todos os lugares, os nativos foram muito solícitos,
    queriam saber de onde eles eram e falavam todas as melhores condições sobre as ondas, swell, vento, etc.


     



  • No caminho, ao parar em uma pequena cidade para conhecer uma surf shop foram extremamente bem recepcionados pelo dono do estabelecimento,
    que passou várias informações sobre as ondas. Esse é um outro aspecto ótimo sobre a
    Nova Zelândia, os locais são muito receptivos.


     


  • Marcela tinha ouvido falar de um sujeito que levava pessoas de hidroavião até um pico secreto e comentando com o mesmo local da surf shop, ele disse que se tratava de seu amigo: Blair. E então foram atrás do Blair que morava em um local afastado, onde não havia sinal, extremamente exótico e isolado. Esperaram ele chegar e o mesmo foi muito receptivo também, colocando todos para dentro de sua casa, oferecendo cerveja e comida.

     



  • A aventura acabou não acontecendo devido as condições de onda, mas fizeram uma sessão de surf ali mesmo perto da casa do Blair, que Tiago definiu como especial.

     


  • "Quando voltei a NZ só para surfar de foil, fiquei 10 dias e em um deles, começou a chover muito e as ondas estavam muito gordas. Havia um local com seu cachorro, observando as ondas e começou a trocar ideia comigo por causa do foil. Ele ficou empolgado e disse que me apresentaria um amigo da cidade que também tinha um foil e que com certeza iria curtir de fazer uma session comigo. Andamos uma quadra e chegando na casa do cara, que estava sentado no sofá, assistindo à etapa de Cloudbreak, realmente fez questão e fizemos uma session de foil animal juntos, uma atitude muito contrária ao clássico localismo."

     



  • Se despediram do Blair e seguiram em busca de uma onda bem ao sul da ilha sul, que remonta as imagens de Albee Layer, corrido do mar por focas.
    Visualmente, o local se tornou conhecido, mas sua localização ainda é levemente guardada.

    No local de beleza peculiar, fazia muito frio e chuva, chegando até mesmo a cair granizo, mas as ondas estavam lindas.


     


  • Uma das coisas que mais chama a atenção na Nova Zelândia é a mudança abrupta do clima, considerando sua exposição geográfica no meio do Mar da Tasmânia. As nuvens se movimentam rapidamente, aparece o sol e chove muitas vezes durante o dia e os arco-íris são uma constante.

     


  • Seguindo para o centro da ilha sul, em direção a Queenstown e então chegaram à estação de ski de Cardrona a cidade fica em um vale que estava envolto por névoa, dando o aspecto de um dia cinza, mas ao subir a montanha, o sol surpreendeu a todos e as condições para as filmagens foram perfeitas.

     


  • Porém, o clima ameno na ilha sul, continuou a se agravar...
    Muita chuva, ventos fortes e todas as condições que desfavorecem a boa captação dos takes, os levou de volta para a ilha norte.


     



  • Regressando, foram para Castle Point, um lugar paradisíaco com paredões de pedra, onde um acesso estreito, levava à uma onda de direita incrível. Ali foi o cenário ideal para continuar as gravações.

     


  • Finalizando a trip em Northland, com clima bem diferente dos dias no sul, local mais quente, com menos ondas mas águas cristalinas e um visual sem igual, rolou até uma session de wakeboard puxado pelo carro.

     

  • "Posso dizer que o que torna a Nova Zelândia um lugar incrível, é um contraste de paisagens e
    condições climáticas que mudam o tempo todo, revelando sempre várias faces de um mesmo local."





    Saiba mais sobre Tiago Azzi em
    @tiagoazzi



     

Este site utiliza tecnologias como cookies para melhorar sua experiência de acordo com nossa política de privacidade. Ao permanecer navegando, você concorda com estas condições.

Estamos ocupados atualizando nossa loja para você e voltaremos logo.

Whatsapp